05/09/2016

DESIGN VENDE: NÃO TENHA MEDO. FAÇA SUA LOJA ACONTECER.

















As pessoas nunca estão satisfeitas. Estão sempre buscando algo diferente, algo novo, inovador, mágico e cativante. Procuram momentos, lugares, lojas, produtos e serviços que as possibilitem encontrar aquilo que vêm buscando, mesmo que elas não saibam exatamente o que é.
O segredo do sucesso é surpreender. Oferecer o inesperado. A sua loja poderá ser diferente, chamar atenção do público e ser um caso de sucesso, se você assim desejar, se não tiver medo e se trabalhar realmente para que isto aconteça.
Transforme sua loja. Vá além do óbvio, do esperado, daquilo que todos oferecem. Emocione a todos com a fachada mais bonita da rua. Motive seus clientes com a promoção mais criativa da semana ou surpreenda a todos com o melhor atendimento da cidade. O melhor sorriso, o olhar mais direto ou o Bom Dia mais contagiante. Surpreenda o público a todo instante e fatalmente você estará aumentando suas vendas.

www.datamaker.com.br






31/08/2016

DESIGN VENDE: VITRINES
















Dentre os vários meios de exposição, a vitrine é opção em que o produto real fica mais próximo do cliente. No mundo contemporâneo, a comunicação não se baseia apenas nas formas oral ou escrita, mas principalmente, na forma visual. E é justamente neste sentido, a visão, que as vitrines se estabelecem. Os diferentes tipos de vitrines, comerciais, cênicas, publicitárias, minimalistas ou institucionais, devem transmitir, através de um contexto, que ao utilizar  técnicas do uso de cores, iluminação e composição, entre outras, transmite sensações agradáveis, atraindo o olhar e acionando o desejo de compra do cliente.

29/08/2016

DESIGN VENDE: O SEGREDO DOS ESPELHOS
















Se uma loja é pequena, a instalação de espelho em um ou ambos os lados, fará com que a ela seja percebida pelo cliente, com um tamanho maior do que possui. Este é um dos segredos do uso do espelho, outro, é que ele pode ser usado para tornar os clientes visualmente mais esbeltos, alongando a silhueta e diminuindo o quadril deles. Instalar espelhos retangulares na vertical ou na horizontal pode influenciar as vendas. Se usado na vertical, os clientes verão a si mesmo dizendo “sim”, ao balançar a cabeça de cima para baixo. Por outro lado, quando os espelhos são instalados na horizontal, os clientes verão a si mesmos dizendo “não”, ao balançar a cabeça de um lado para o outro. Isso acontece devido ao sentido do gesto ser o mesmo da forma do espelho. Foi constatado que esse comportamento tem importantes implicações para a avaliação do produto. Produtos em lojas com os espelhos verticais recebem mais avaliações positivas, fazendo com que os clientes fiquem mais propensos a se aproximar dos produtos e consequentemente a comprar mais.

15/08/2016

DESIGN VENDE: PERMITIR VER E TOCAR OS PRODUTOS TORNA A LOJA MAIS VENDEDORA
















Criar oportunidade para que o cliente possa ver e tocar os produtos deve ser uma constante preocupação do lojista, pois desta forma, se estabelecerá uma conexão emocional entre o cliente e o produto. Muitas vezes, entretanto, o produto fica oculto dentro da loja, atrás de grandes expositores ou guardado no estoque, pois não é reposto regularmente. Permitir ao cliente sentir os produtos é a maior vantagem que as lojas físicas têm em relação às lojas online. Além de estarem visíveis, os produtos necessitam ter fácil acesso, vitrines trancadas ou prateleiras muito altas, entre outras coisas, dificultam a acessibilidade. Apesar da justificativa para esta situação, ser a segurança, que também é um fator relevante, é preciso pensar nela de uma forma que não comprometa todo o esforço criado para encantar o cliente. A principal missão do visual merchandising é tornar os produtos visíveis e acessíveis e os clientes só compram o que veem. 










11/08/2016

DESIGN VENDE: VISUAL MERCHANDISING















A arte de apresentar os produtos de modo visualmente mais atraente, por meio de imagens ou da sua apresentação, é chamada de Visual Merchandising.  Com estratégias corretas, os produtos serão mais facilmente vendidos, trazendo resultados nas vendas equivalentes aqueles gerados quando a loja realiza promoções. Uma melhor apresentação dos produtos, também contribuirá para a imagem global da loja, deixando-a ainda mais atraente. Como os clientes esperam encontrar os produtos dentro da loja? Este é um questionamento que deve ser respondido no planejamento do Visual Merchandising. É importante destacar os seguintes aspectos: Os produtos devem estar visíveis; ter fácil acesso e sempre ser oferecidos aos clientes com boas opções de escolha. Além de tudo, o Visual Merchandising faz com que a loja se comunique, despertando no cliente, o desejo de possuir os produtos.

01/08/2016

DESIGN VENDE: O SEGREDO DOS ESPELHOS
















Se uma loja é pequena, a instalação de espelho em um ou ambos os lados, fará com que a ela seja percebida pelo cliente, com um tamanho maior do que possui. Este é um dos segredos do uso do espelho, outro, é que ele pode ser usado para tornar os clientes visualmente mais esbeltos, alongando a silhueta e diminuindo o quadril deles. Instalar espelhos retangulares na vertical ou na horizontal pode influenciar as vendas. Se usado na vertical, os clientes verão a si mesmo dizendo “sim”, ao balançar a cabeça de cima para baixo. Por outro lado, quando os espelhos são instalados na horizontal, os clientes verão a si mesmos dizendo “não”, ao balançar a cabeça de um lado para o outro. Isso acontece devido ao sentido do gesto ser o mesmo da forma do espelho. Foi constatado que esse comportamento tem importantes implicações para a avaliação do produto. Produtos em lojas com os espelhos verticais recebem mais avaliações positivas, fazendo com que os clientes fiquem mais propensos a se aproximar dos produtos e consequentemente a comprar mais.

27/07/2016

DESIGN VENDE: O QUE NÃO É VISTO NÃO É COMPRADO
















Muitas vezes, o cliente decide, em alguns segundos, se além de olhar, verá ou não, com mais atenção, um determinado produto. Por essa razão, o produto e as informações sobre ele, devem estar visíveis à primeira vista e serem transmitidas da melhor maneira possível. Uma boa opção para chamar a atenção do cliente é usar expositores. O expositor é uma peça flexível usada para apresentar e destacar um produto. Pode ser uma cesta, uma mesa ou um display e não necessariamente em uma prateleira física e tangível. As funções dos expositores são muitas: criar uma demanda para produtos específicos, realçar a imagem da loja, destacar a conveniência da compra, controlar e coordenar o fluxo do cliente na circulação da loja. Um bom expositor deve conter quatro elementos: o produto em destaque, um adereço (imagem, elemento decorativo, uso de cor, etc...), iluminação e espaço para informações. Usando o expositor corretamente o produto será visto e comprado pelo cliente.





26/07/2016

DESIGN VENDE: OS MATERIAIS E AS FORMAS COMUNICAM

















Os materiais e as formas utilizadas no ambiente da loja influenciam o comportamento do cliente. Isto pode ocorrer em simples aplicações como paredes, por exemplo, que quando retas associadas à formas agudas,  sugerem masculinidade e quando associadas à formas curvas, sugerem feminilidade. Deve-se, portanto, expor os produtos sobre uma parede curva ou com desenhos curvilíneos, se o alvo for mulheres e sobre uma parede reta, expor produtos para o público masculino. Outras associações interessantes feitas pelos clientes, através dos materiais aplicados são: tijolo é durável, aconchegante e natural, vidro é frágil e moderno, metais são frios e estéreis. Com essas referências é possível projetar uma loja que crie um vínculo com o seu público alvo, pois todos os elementos que a compõe estarão, subliminarmente, se comunicando com ele. 

25/07/2016

DESIGN VENDE: O TIPO DE PISO PODE DEIXAR A LOJA MAIS VENDEDORA
















Quase ninguém para pensar como o piso de uma loja pode ser importante. Foi feito um estudo em uma loja de departamentos, com o objetivo de descobrir se o tipo de piso, duro ou macio, teria influência na velocidade do andar do cliente e se essa velocidade seria significativa no comportamento dele dentro da loja. No mesmo local, um corredor da loja, foi colocado um tapete macio que era alternado diariamente com o piso duro, existente.  Foi constatado, por observação, que o cliente ao caminhar mais devagar sobre o piso macio tendia,  a parar com mais frequência, aumentando assim o tempo de sua permanência dentro da loja. Portanto levando em consideração o resultado obtido podemos, concluir que em áreas com mercadorias em destaque ou estratégicas dentro da loja uma boa alternativa para que o cliente tenha sua atenção despertada é utilizar um tapete macio, que além de complementar o visual, funcionará com um desacelerador. Pequenos detalhes como esse, tornam a loja mais vendedora para os clientes. 

20/07/2016

DESIGN VENDE: A ENTRADA DA LOJA

















Uma entrada da loja bem elaborada dará ao cliente vontade de entrar e comprar. Alguns cuidados, entretanto, são importantes e devem ser considerados. Diferenciar a entrada da loja do resto da fachada, indicando claramente por onde entrar, é um deles. Deve-se evitar que existam, na entrada da loja, barreiras físicas como, por exemplo, escadas. Caso a loja esteja em um nível diferente da rua, utilize rampa.  As barreiras psicológicas também podem existir e devem ser evitadas. Procure mostrar claramente ao cliente o que está esperando por ele dentro da loja, pois se não souber o que o espera lá dentro, poderá não entrar. Todo contato do cliente com a marca é uma oportunidade de aproximá-lo ou afastá-lo, a entrada da loja é fundamental neste processo.

29/06/2016

DESIGN VENDE: CRIANDO CAMINHOS PELA LOJA
















Uma loja deve ter caminhos claramente visíveis para que sejam percorridos pelos clientes. É necessário que se retire obstáculos destes caminhos, como produtos no meio dos corredores, pois são um empecilho à circulação dos clientes. É importante também que tenha corredores de diferentes larguras, porque isso ajuda o cliente a diferenciar o trajeto principal da loja e as rotas secundárias. Uma boa solução é a criação de marcos de referência pela loja, que ambientarão criando espaços diferentes e ajudarão na orientação dos clientes ao circularem por ela. E o que seriam esses marcos? Podem ser: ilhas de produtos, mesas com exposição diferenciadas, painéis de comunicação, entre outros. Essas ações simples tornam a loja ainda mais vendedora.







28/06/2016

DESIGN VENDE: PRODUTOS NA ALTURA DOS OLHOS
















O que os olhos veem o coração compra. Pesquisas realizadas constaram que os produtos colocados na altura dos olhos recebem 35% mais atenção do que os colocados nas prateleiras mais baixas. Os clientes compram mais os produtos que estão posicionados neste campo de visão. E qual seria essa altura dos olhos? A altura dos olhos está entre 1,20 e 1,50 m e ainda existe a visão periférica das pessoas, que amplia a visão em 30% em relação ao ponto central em todas as direções. Portanto, se deseja vender mais um determinado produto ou produtos com margem de lucro maior, este é o local ideal para colocá-los.

DESIGN VENDE: COMO OS CLIENTES LOCALIZAM OS PRODUTOS NA LOJA
















Os clientes procuram inicialmente por grupos de mercadorias na horizontal. Depois, em um segundo momento, na vertical, fazem a busca por marcas ou produtos específicos. Essa sequência tem importantes implicações para a organização correta dos produtos na loja. Com base neste padrão de busca pode-se tirar proveito da exposição potencializando vendas com margens de retorno maior ou setorizando melhor a loja. Estudos realizados dentro do ponto de venda determinam outros locais onde a atenção do cliente é concentrada como: final do corredor: 100% de atenção do cliente; equipamentos individuais de produtos: 100% de atenção; Displays especiais: 97% de atenção e comunicação visual junto ao produto: 62% de atenção do cliente.

DESIGN VENDE: OS EFEITOS DA FALTA DE ORIENTAÇÃO NA LOJA
















Muitas vezes os clientes podem se sentir desorientados quando estão num ambiente de loja estranho e confuso. Na maioria das vezes, isso acontece quando se perde muito tempo procurando um determinado produto sem conseguir encontrá-lo. Quando os clientes sentem que não estão no controle do ambiente, expressam raiva e insatisfação em relação à loja. Essa reação resulta em vários efeitos negativos sobre o seu comportamento, como por exemplo, passam menos tempo dentro da loja; tornam-se muito críticos em relação aos produtos; provavelmente não farão compras não planejadas e sua fidelidade para com aquela loja sofrerá um impacto negativo. Portanto, é importante que o layout e a sinalização sejam planejados para ajudar o cliente a, entre outras coisas, orientar-se dentro da loja.

23/06/2016

DESIGN VENDE: MISSÃO COMPRIDA


















Em todas as etapas que ocorrem durante o Plano de Trabalho: Briefing, Apresentação do Projeto, Aprovacão do Projeto, Implantação e Execução, existe dois momentos, que são especiais. O primeiro ocorre na Apresentação do Projeto, que pelo brilho do olhar, percebo que o cliente gostou e aprovou a ideia. O segundo momento é após a implantação do projeto, um dia antes da inauguração da loja, quando encontro o cliente e vejo novamente aquele brilho no seu olhar e ele diz: Puxa realmente ficou bom! Valeu a pena acreditar na ideia! Esse segundo momento aconteceu hoje, na entrega da loja Laura Cosméticos em Guarapuava. Missão comprida!

21/06/2016

DESIGN VENDE: LAYOUT COM TRAJETO LIVRE
















Ao contrário do trajeto obrigatório, no trajeto livre, a loja conta com expositores e prateleiras seguindo um padrão mais solto. Esta liberdade permite algumas vantagens: Realça o ambiente da loja, tornando-a menos árida e mais interessante, incentiva o cliente a olhar, tocar e sentir os produtos mais a vontade e possibilita compras não planejadas.


17/06/2016

DESIGN VENDE:UMA LOJA VISUALMENTE PODEROSA
















O Visual Merchandising não é apenas a arrumação dos produtos dentro da loja, mas uma importante estratégia para aumentar as vendas. Toda a ambientação da loja, incluindo o mobiliário, a iluminação, a comunicação  visual, sonorização, aromatização e também a exposição adequada dos produtos, devem ser planejados com o propósito de despertar o desejo e influenciar as decisões de compra do cliente.

DESIGN VENDE: CIRCULAÇÃO DOS CLIENTES NA LOJA – CLIENTES EVITAM SUBIR OU DESCER ESCADAS


















Você já percebeu que quando entramos em uma loja evitamos mudar de andar? De modo geral, o cliente evita subir ou descer para outro andar. Para alguns clientes portadores de necessidades especiais, obesos ou idosos pode ser uma dificuldade ainda maior. Mesmo que a loja possua elevadores ou escadas rolantes, este efeito é sentido, prejudicando a circulação. Essa diferença de nível pode transmitir ao cliente que se trata de uma loja mais sofisticada. E como podemos contornar esta situação? Buscando colocar os produtos que atraem um maior número de clientes no andar térreo.












DESIGN VENDE: CIRCULAÇÃO DOS CLIENTES NA LOJA – CLIENTES EVITAM CORREDORES ESTREITOS


















Você já percebeu que quando entramos em uma loja evitamos os corredores estreitos? Sabe por quê? Porque você, eu e as outras pessoas sentimos que nos corredores estreitos o nosso espaço pessoal pode estar sendo invadido.  Este espaço, que é o entorno de cada um, é o que nos faz sentir seguros. Por isso na hora de planejar o layout do projeto para uma loja é preciso estar atento a este detalhe.

08/06/2016

DESIGN VENDE: CIRCULAÇÃO DOS CLIENTES NA LOJA – CLIENTES ANDAM EM SENTIDO ANTI-HORÁRIO
















Alguma vez você já notou a direção que você costuma tomar depois de entrar em uma loja? É o sentido anti-horário, ou seja, entrar em direção do lado direito da loja. Este padrão foi percebido em estudos realizados por muitos pesquisadores de hábitos de consumo. E por que isso ocorre? Porque é uma tendência natural das pessoas. Em função disso, na maioria das vezes a porta de entrada da loja esta à direita da fachada ou centralizada. E por que esta informação é importante? É importante porque podemos privilegiar a exposição de determinados produtos nessa área. Por exemplo: o lançamento, a promoção ou destaque de algum produto.





DESIGN VENDE: CIRCULAÇÃO DOS CLIENTES NA LOJA – ZONA DE TRANSIÇÃO
















Sabe aquela área da loja imediatamente após a entrada? É chamada de Zona de Transição, ou seja, o momento em que os clientes saem da área externa e entram na loja. Por isso, precisam de algum tempo para se orientar no novo ambiente e se ajustar aos novos estímulos como: diferença de temperatura, iluminação, cores, sinalização, entre outros. Como a capacidade de percepção do cliente diminui este local é pouco atrativo para a exposição de produtos.


31/05/2016

DESIGN VENDE: AS 3 REGRAS DA CONQUISTA – PARTE 3

















Tenha uma preocupação estética total. Marcas líderes como Coca-Cola ou Itaú, são exemplos de que quando levada a todos os níveis, a Identidade Visual das empresas, através da estética, tornam o posicionamento e a ética, muito mais visíveis e palpáveis ao olhos dos clientes. A preocupação estética cria a aura da empresa, fazendo com que exista um conjunto harmonioso, onde as peças se encaixam e tudo tenha a ver com tudo.


20/05/2016

DESIGN VENDE: AS 3 REGRAS DA CONQUISTA – PARTE 2
















Crie uma assinatura (logotipo + símbolo) forte e de fácil leitura. Os Correios são um bom exemplo disso. A aplicação da nova assinatura tanto na fachada, como no interior das agências e na comunicação, fez com que a empresa atualizasse sua imagem. Faça como as muitas empresas que fazem da aplicação de suas assinaturas, uma maneira de ter um posicionamento correto diante do mercado. Seja através de embalagens criativas como Natura e Diletto ou de uniformes bem desenhados como os da Ipiranga. Empresas vencedoras procuram sempre expressar a imagem delas através de boas aplicações de suas marcas.






19/05/2016

DESIGN VENDE: AS 3 REGRAS DA CONQUISTA – PARTE 1
















Para conquistar o público alvo, é necessário ser original, mostrar algo de novo, que identifique claramente a marca, a loja ou produto, fazendo com que haja algo a mais que os diferencie dos demais.

Esta conquista é uma verdadeira competição e para vencê-la é preciso adotar uma estética diferente das utilizadas pelos concorrentes. Devemos respeitar algumas regras e construir uma diferenciação clara de posicionamento:

Defina sempre um estilo. Seja sofisticado ou simples, moderno ou clássico, exclusivo ou popular, é através da Identidade Visual que se posiciona um produto, uma marca, uma loja ou uma empresa no mercado. O importante é ter um estilo bem definido e estar presente, como uma referência, no inconsciente do consumidor, criando laços de fidelidade com o público alvo.


18/05/2016

DESIGN VENDE: REGRAS DA CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE – PARTE 3
















A fachada é a embalagem de sua empresa.

Ao se olhar a fachada de uma determinada empresa, pode-se normalmente imaginar qual é o nível de qualidade dos serviços ou produtos por ela oferecidos. O estilo arquitetônico, o cuidado com a comunicação, a eficiência da sinalização, a aparência geral, a localização, a manutenção ou os tipos e a quantidade de carros parados na frente, são signos que fatalmente estarão comunicando ao público muito daquilo que uma empresa, uma loja, ou uma escola apresenta no seu interior. Quem nunca acabou marcando uma consulta com um médico que nem conhecia direito, só porque atende em uma clínica moderníssima ou nunca comprou em uma loja, só porque a sua fachada é moderna e encantadora?

17/05/2016

DESIGN VENDE: REGRAS DA CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE – PARTE 2
















A Embalagem é o cartão de vista de seu produto.
Cada vez mais os produtos tornam-se parecidos. As lojas e supermercados, estão cada vez maiores e mesmo assim, não comportam tamanha diversidade de marcas e produtos. Dentro deste cenário, as embalagens e os displays empenham papeis fundamentais na decisão de compra. Quantas vezes já nos pegamos comprando produtos que muitas vezes nem precisávamos comprar, somente por causa de embalagens atraentes e displays revolucionários?

A preocupação e o cuidado de uma empresa com a sua identidade visual torna claro a qualidade de seus produtos.


16/05/2016

DESIGN VENDE:A IMPORTÂNCIA DA FACHADA






O estilo arquitetônico, o cuidado com a comunicação, a eficiência da sinalização, a aparência geral, são signos que fatalmente estarão comunicando aos clientes muito daquilo uma loja, apresenta no seu interior.


13/05/2016

DESIGN VENDE: REGRAS DA CONSTRUÇÃO DE UMA IDENTIDADE – PARTE 1




















As muitas informações que nossos olhos vêem, são processadas por nossa mente, que em questões de segundos, avalia, filtra e através de um processo natural, decide se elas ficarão ou não gravadas em nosso subconsciente. Assim, uma simples imagem gravada torna-se a informação mais importante que acabamos armazenando em nossa memória a respeito de um determinado acontecimento, pessoa ou empresa.

O cartão de visitas é a fachada dos seus serviços.
Aquilo que se passa em um cartão de visitas, transmite claramente a imagem que as pessoas terão de uma empresa. Moderna ou antiquada, atualizada ou retrógrada, limpa ou confusa, completa ou remediada, profissional ou amadora. Tudo estará comunicado nas entrelinhas.

A preocupação e o cuidado de uma empresa ou de um profissional com a sua identidade visual torna claro seu profissionalismo e é traduzida como uma extensão da qualidade de seus produtos e de seus serviços. Portanto, não subestime seu público e analise como está a aplicação da marca da sua empresa.


09/05/2016

06/05/2016

DESIGN VENDE: NÃO TENHA MEDO. FAÇA SUA LOJA ACONTECER.
















As pessoas nunca estão satisfeitas. Estão sempre buscando algo diferente, algo novo, inovador, mágico e cativante. Procuram momentos, lugares, lojas, produtos e serviços que as possibilitem encontrar aquilo que vêm buscando, mesmo que elas não saibam exatamente o que é.

O segredo do sucesso é surpreender. Oferecer o inesperado. A sua loja poderá ser diferente, chamar atenção do público e ser um caso de sucesso, se você assim desejar, se não tiver medo e se trabalhar realmente para que isto aconteça.

Transforme sua loja. Vá além do óbvio, do esperado, daquilo que todos oferecem. Emocione a todos com a fachada mais bonita da rua. Motive seus clientes com a promoção mais criativa da semana ou surpreenda a todos com o melhor atendimento da cidade. O melhor sorriso, o olhar mais direto ou o Bom Dia mais contagiante. Surpreenda o público a todo instante e fatalmente você estará aumentando suas vendas.


05/05/2016

DESIGN VENDE: ANALISE COM TÁTICA.
















Seja qual for o tipo de produto, serviço ou público alvo, o objetivo de qualquer loja é vender. Esteja ela situada em um sofisticado shopping center, em uma galeria, em uma rua comercial de altíssimo nível ou em uma rua de bairro, para que efetivamente venda, a loja deve apresentar uma imagem pertinente, informando com clareza, quais são seus produtos, seus serviços e a quem, exatamente, ela quer atingir.


É importante analisar todos os itens que formam a identidade visual da loja, como fachada, luminoso, interior, iluminação, comunicação visual, sinalização, material promocional e atendimento. Uma avaliação fria e tática mostrará se o conjunto em sua somatória está apresentando a imagem correta que a empresa quer e necessita transmitir.

Ações simples, desenvolvidas com criatividade e um bom design aplicado, sempre garantem uma comunicação com clareza e vendem qualquer coisa a qualquer tipo de público. Dessa forma se estará contribuindo positivamente, também, na construção e na manutenção da marca.

datamaker.com.br

04/05/2016

DESIGN VENDE: SOLUÇÕES SIMPLES. UM GRANDE DESAFIO.
















Trabalhar com criatividade significa viver constantemente em busca de grandes ideias que funcionem. Seja no design, na arquitetura, na arte ou no marketing, elas são sempre as mais simples.

Ter uma boa ideia em design é atingir o voo mais alto, a simplificação plena, o sintético absoluto, em outras palavras, chegar ao óbvio.  .

Para o bom designer seu desafio diário não é apenas acreditar na sua própria capacidade criativa, mas fazer com que o cliente acredite junto com ele, naquilo que ainda não existe.


Por outro lado, o desafio do cliente, é apostar na experiência do profissional ou da empresa de design contratada, acreditando que da mesma forma que desenvolveram soluções criativas para outros clientes, estarão, através de um briefing bem passado, fazendo valer o investimento, atingindo o resultado esperado.


02/05/2016

DESIGN VENDE: 04 TENDÊNCIAS DO VAREJO DO FUTURO – parte 4
















1)    VAREJO DE DADOS: Mais do que entender os hábitos do consumidor a partir de dados coletados nas lojas, essa tendência diz respeito à reestruturação de todo o negócio em torno de informações. Exemplo: WALMART - Mudou sua estrutura com o aumento da capacidade e inteligência da organização em coletar, compreender, beneficiar, armazenar, disponibilizar e utilizar os dados.

2)    FLAGSHIPS: Marcas que antes eram tradicionalmente vendidas em supermercado e outros varejistas, agora buscam formas diferentes de expor seus produtos e construir sua marca, o que nem sempre é possível dentro de outra loja. Exemplo: BAUDUCCO - Decidiu investir em lojas próprias.

3)    COMBOS: A marca compõe seu portfólio de ofertas juntado produtos de  terceiros. Mais vale satisfazer o consumidor do que só vender produtos da própria marca. Exemplo: Mc Donald’s - Mais que juntar batata frita e refrigerante ao lanche, ele oferece também: sucos, água de coco, maçã, saladas. 

4)    SUSTENTABILIDADE: O varejo está mudando seu entendimento sobre a responsabilidade de suas operações. As empresas estão na prática exercendo seu papel na cadeia de transformação sustentável da sociedade. Exemplo: NATURA - Que valoriza produtos naturais e fabricação local.

Fonte: Revisa Exame


29/04/2016

DESIGN VENDE: 03 TENDÊNCIAS DO VAREJO DO FUTURO – parte 3
















1) CONSUMIDORES NO CENTRO DA CADEIA: Mais que pedir a colaboração do usuário para aparar arestas soltas, algumas empresas contam com ele para construir o produto do zero. Exemplo: GOOGLE, já criou diversos serviços com a ajuda de comunidade online de desenvolvedores.
2)    ENTREGAR EXPERIÊNCIAS: Mais do que um simples produto o consumidor quer receber uma oferta completa, uma experiência. Exemplo: DILETTO, mais que um sorvete, ele entrega uma história junto com sua marca.
3)    INTEGRAÇÃO DOS CANAIS: No início, o varejo tinha somente um canal de comunicação com o consumidor: a loja. Depois criou-se franquias, venda direta, comércio eletrônico, atendimento ao cliente pelo telefone, chat, e-mail e redes sociais. Esse aumento expressivo de canais trouxe diversos problemas para os varejistas, como a falta de integração das informações. Exemplo: ITAÚ – que trabalha bem a integração dos canais e sabe divulgar isso.

Fonte: Revisa Exame


28/04/2016

DESIGN VENDE: 03 TENDÊNCIAS DO VAREJO DO FUTURO – parte 2
















1)THE CUSTOMER 360º: cada vez mais as empresas desenvolvem suas operações tendo o cliente como parte central. Do atendimento ao sistema de gestão, elas pensam de dentro para fora. Exemplo: AMAZON.COM

2)CURADORIA: quando a empresa tem um legião de féis, eles se tornam seus embaixadores e curadores. Exemplo: APPLE – são os clientes que dão dicas sobre o produto e forma de uso nas redes sociais e fóruns.


3)CUSTOMIZAÇÃO EM MASSA: ao incorporar tecnologias , plataformas, canais e forte inteligência de dados, as empresas conseguem customizar e segmentar quase todos os seus produtos. Exemplo: SUBWAY

Fonte: Revisa Exame




27/04/2016

DESIGN VENDE: 03 TENDÊNCIAS DO VAREJO DO FUTURO – parte 1
















     1)  FAST TRENDING: Alta escala e rapidez com grau de especialização ou customização.      Exemplos: ZARA - Estoques pequenos com giro rápido. HABIB`S - As esfihas são  produzidas na hora e em larga escala, a empresa consegue ganhar com produtos  complementares como sobremesa e suco.

      2) INOVAR NOS ENGAJAMENTOS: levar o consumidor a interagir com as suas marcas e produtos. Exemplo: CHILLI BEANS - para saber qual é o melhor óculos para cada tipo de rosto usa espelhos inteligentes e simulações.

3) INACABADO: o produto final sempre estará inacabado, a empresa lança produtos mais rapidamente e desta forma adaptá-los de acordo com o feed back do cliente. Exemplo:
AMAZON – por ser empresa digital é mais ágil em seus lançamentos e atualizações.Fonte: 

Revisa Exame



26/04/2016

DESIGN VENDE: PENSE LONGE, TRABALHE PERTO.
















É moderno e cômodo pensar que as únicas razões dos baixos índices nas vendas de pãezinhos ou de quaisquer outros produtos ou serviços estão longe de nosso controle. Não seja apenas mais um farelo insignificante dessa massa reclamante. Preste atenção no seu negócio. Tenha certeza de que o atendimento de sua equipe de vendas está sendo feito de forma correta, dinâmica, profissional, entusiasmada e cordial, não apenas quando você está por perto, mas principalmente na sua ausência.

Se você deseja cativar seus clientes e não está conseguindo,
não culpe apenas a instabilidade politica. Acredite na sua empresa e trabalhe. Faça com que seus clientes recebam um atendimento surpreendente, a qualquer momento, longe do convencional e invista para que sua loja ou escritório ofereça um ambiente agradável. Trabalhando aquilo que está ao seu alcance, logo estará vislumbrando novas possibilidades.


Preste atenção no seu negócio, pois teorias, constatações e argumentos carregados de universalidade são importantes, mas podem estar sendo também, usados como desculpa e não uma análise profunda dos reflexos das consequências politicas e econômicas mundiais como parecem.



20/04/2016

DESIGN VENDE: QUEM NUNCA COMEU MELADO NÃO SABE QUE LAMBUZA.
















Existem algumas pessoas que gostam de café amargo. A grande maioria prefere colocar açúcar ou adoçante para deixá-lo a seu gosto. Para essas pessoas, adoçar o café é o modo de deixá-lo melhor.  Adoçar o café muito mais do que o suficiente, não significa que o cafezinho ficará infinitamente mais gostoso, ao contrário, o deixará saturado, um melado que provavelmente ninguém sentirá prazer em saborear.

Ao falamos de cafezinho parece óbvio que o excesso não é, nunca foi e nunca será uma garantia de qualidade. Quando se trata de comunicação visual, entretanto, parece não haver tamanha obviedade assim. Caso contrário, não veríamos tantas empresas que, estando ou não em promoção, penduram dezenas de bandeiras e banners em tudo quanto é lugar, resultando em algo parecido com um eterno baile de carnaval. É muito comum também ver, logotipos aplicados em exaustão e sem nenhum critério, espalhados, pelas ruas, fachadas, lojas, frotas e impressos.

Não podemos imaginar que o público aceitará positivamente qualquer ação mal realizada, seja porque ele é de um perfil simples ou porque a empresa não dispõe de verba suficiente. Não podemos transformar ações quentes em comunicação visual em um cafezinho melado e frio.